segunda-feira, 30 de abril de 2012

O caminho que a cidade deve tomar.

     A cidade precisa ser eficiente, tem que dar resultado. O crescimento e o desenvolvimento econômico precisam ser reais e a população precisa ter qualidade de vida e justiça social. A cidade precisa estar em consonância com o Estado, com a União e com os demais entes do poder público. Na busca pelo desenvolvimento a cidade precisa explorar suas vocações naturais e criar novas oportunidades. A cidade precisa viabilizar o acesso ao conhecimento e à informação para a sua população, precisa oferecer uma educação de vanguarda e de qualidade. A cidade precisa viabilizar a saúde pública, prezando pela saúde preventiva, que atenda com conforto e qualidade a totalidade da população e que tenha todos os níveis de atendimento ou que participe de um consórcio regional para o mesmo fim. A cidade precisa de uma política fiscal capaz de incentivar e estimular o crescimento e o fortalecimento do comércio e da indústria local. Em fim, a cidade precisa de políticas públicas estruturantes e sólidas, definidas estrategicamente, que lhe garantam resultados positivos e viabilidade. 

     A cidade tem sua dinâmica, sua vida própria, ela é mutável, segue crescendo naturalmente. Por isso, não podemos permitir que ela cresça de qualquer forma, sob pena de amanhã termos uma cidade que não ofereça qualidade de vida aos seus habitantes, que se inviabilize porque cresceu de forma equivocada. A cidade precisa saber onde estão seus gargalos, quais são seus problemas e suas deficiências, para poder superá-los. A cidade tem que ser pró ativa e sua administração tem que estar em consonância com os anseios e com as necessidades da população. 

     A cidade como um todo precisa saber o que quer, precisa se livrar de seus fantasmas e seguir em frente. Não podemos mais tolerar a desordem, o desperdício, o roubo, a corrupção, o inchaço da máquina pública e a falta de objetividade nas ações do poder público, entre outras coisas. O caminho que a cidade deve tomar é o da consciência coletiva para um futuro mais justo, digno e equilibrado, onde desenvolvimento econômico, geração de emprego, geração de renda, qualidade de vida e sustentabilidade sejam suas premissas. A decisão é nossa e vamos materializa-la na escolha de nossos representantes. Quem aponta o caminho somos nós. Vamos em frente !!! 


 Bernardo Ariston

Nenhum comentário:

Postar um comentário