segunda-feira, 23 de abril de 2012

A Rio+20 e o desenvolvimento local

     Após vinte anos da realização da Rio 92, a cidade do Rio de Janeiro se prepara para receber, no mês de junho, a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. O objetivo da Conferência é a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável e a elaboração de uma nova agenda sobre o tema para as próximas décadas. 

     A Rio+20 poderá fornecer muitos elementos para que o desenvolvimento sustentável seja um paradigma da economia mundial. Seu sucesso vai depender do compromisso de países e instituições, como o FMI e o Banco Mundial, para colocar a economia global a caminho de uma economia verde e social, que poderá sintonizar o desenvolvimento com as necessidades do meio ambiente e da luta contra a pobreza. 

     A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza poderá ser um caminho para o crescimento e para o desenvolvimento sócio econômico. Desenvolvimento sustentável é aquele capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações e a economia verde preconiza as novas formas de se buscar o crescimento econômico produzindo riqueza, gerando novos empregos, e ao mesmo tempo, promovendo a sustentabilidade em escalas que vão da local à global.

     Estar em sintonia com essas questões no plano local é muito importante para o futuro de qualquer cidade. Assim sendo, é fundamental estarmos antenados e comprometidos com esses modelos, pois eles serão essenciais para a consolidação do Brasil como potência mundial. Sair do discurso eleitoreiro que promove o inatingível e partir para a apresentação e implementação de um planejamento estratégico que contemple o desenvolvimento sustentável como modelo de crescimento e de desenvolvimento econômico, poderá representar o diferencial para o sucesso dos futuros prefeitos e de suas administrações. Mais do que nunca temos a obrigação de pensar globalmente e agir localmente se desejamos uma sociedade mais justa e desenvolvida. Vamos em frente !!!

Bernardo Ariston

Um comentário:

  1. É estarrecedor saber que em 20 anos quase nada mudou, vide o lixão de Gramacho,será q daqui a 20 anos vou estar repetindo isso?Em termos de Brasil é bem provável não é!Abraços Ivonete
    netyluar@ig.com.br

    ResponderExcluir