segunda-feira, 28 de maio de 2012

Postura de vanguarda.

A atividade turística, ao longo das últimas décadas, vem se tornando uma das principais atividades econômicas do Brasil. Em 2003 o Presidente Lula criou o Ministério do Turismo, com a missão de "desenvolver o turismo como uma atividade econômica sustentável, com papel relevante na geração de empregos e divisas, proporcionando a inclusão social". Trabalhando de forma descentralizada e com planejamento estratégico o Ministério do Turismo se vale do Plano Nacional de Turismo como instrumento de planejamento e gestão. Não resta dúvidas sobre a importância da atividade turística como indutora do crescimento e do desenvolvimento econômico, sobretudo pela sua capacidade de gerar empregos e de dinamizar a circulação de divisas.

O Brasil tem todos os quesitos para que a atividade turistica seja pujante, sua geografia e suas peculiaridades ambientais proporcionam a prática de diversas modalidades do turismo. Cada vez mais precisamos gerar condições para ampliar a atividade e é aí que entra a importância dos municípios nesse processo. De acordo com o plano nacional de turismo, os "investimentos em infraestrutura e qualificação profissional vão permitir a organização de 65 destinos turísticos, distribuídos em todo o território nacional, dentro de um padrão internacional de mercado, proporcionando assim a entrada de US$ 7,7 bilhões em divisas para o Brasil".

Recentemente o município de Armação dos Búzios recebeu o título de Melhor Destino de Sol e Praia concedido pela feira Euroal 2012, na Espanha. De acordo com o Ministério do Turismo, "o Turismo de Sol e Praia constitui-se das atividades turísticas relacionadas à recreação, entretenimento ou descanso em praias, em função da presença conjunta de água, sol e calor." Assim, podemos dizer que Búzios, pela sua fama mundial, é o abre alas da região dos lagos nessa questão e suas características naturais refletem as características de toda a região. Entretanto, enquanto Búzios já se estabeleceu como importante destino turístico as outras cidades ainda precisam avançar. No ambiente de Sol e Praia é possível realizar uma grande diversidade de atividades que abrangem, também, atividades de outros segmentos do turismo. O Turismo Náutico, o Ecoturismo, o Turismo de Aventura e o Turismo de Pesca são algumas das atividades turísticas que podem e devem acompanhar o turismo de sol e praia em nossa região, isso sem esquecer do turismo de negócios e eventos, que ao longo do ano pode manter a atividade aquecida.

Precisamos entender que nao bastam apenas as ações do governo federal, muito pelo contrário, os municipíos precisam induzir o crescimento da atividade turística criando as condições necessárias para que a iniciativa privada possa fazer a sua parte e isso só acontece com compromisso, vontade política e planejamento estratégico. Eu particularmente me sinto muito a vontade para falar do assunto pois, desde 1997 milito nessa atividade e tenho relevantes serviços prestados ao turismo regional, estadual e nacional. Respectivamente, implantei o Projeto Arraial do Cabo a Capital do Mergulho, fui diretor e vice presidente presidente da Turisrio e como Deputado Federal sou autor da lei nº 11.637, de 28 de Dezembro de 2007, que dispõe sobre o programa de qualificação dos serviços turísticos e do Selo de Qualidade Nacional de Turismo. Regionalmente falando, temos um potencial turístico enorme, mas uma atividade ainda insipiente, portanto, pensar e planejar o turismo em nossa região é assumir uma postura de vanguarda que certamente trará resultados positivos para todos.

Bernardo Ariston

Nenhum comentário:

Postar um comentário