terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Sistema OCB/Sescoop-RJ promove reunião de integração com o MAPA

2013: ano do fortalecimento do ramo Agropecuário no Rio de Janeiro

O Sistema OCB/Sescoop-RJ realizou no dia 4 de janeiro, pela primeira vez no Estado, um encontro de integração com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e diversas instituições para integração e mapeamento das principais atividades a serem desenvolvidas durante o ano de 2013 no ramo Agropecuário do cooperativismo.

Os principais pontos da pauta foram o Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC) - que disponibiliza recursos para financiar a recuperação de áreas degradadas, a implantação de sistemas orgânicos de produção de planos de manejo florestal sustentável, a continuidade do Programa Rio Genética como ferramenta para o melhoramento genético, o fortalecimento e a criação de cooperativas de produtos orgânicos e de agricultura familiar.

Participaram o presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Marcos Diaz, os superintendentes técnico do Sescoop/RJ, Jorge Barros, e o administrativo e financeiro do Sescoop/RJ, Jorge Lobo, e o superintendente federal do Mapa, Bernardo Ariston. Também acompanharam a reunião, realizada na sede da Superintendência do Mapa, na Praça Mauá, o deputado estadual Paulo Ramos, o presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro (Emater Rio), Justino Antônio da Silva, o chefe de gabinete da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), Benito Igreja Junior, o coordenador do Mapa/RJ, Celso Merola, o coordenador técnico do Programa Rio Genética, da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Seapec), José Antônio Delazare, o superintendente estadual do Banco do Brasil de Negócios, Varejo e Governo, Reinaldo Kazufumi, os representantes do Banco do Brasil, Luciano Lima e Jair Miller, dentre outros.

Bernardo Ariston agradeceu a presença e disse que este é o momento de união entre todos os atores da sociedade civil. "Nossa missão é extremamente importante e terá consequências benéficas que vão além do que almejamos. Temos que trazer o Rio de Janeiro para o centro político no que se refere à agropecuária. Este é o nosso principal desejo e por isso estamos aqui", declarou.

O presidente Marcos Diaz falou da importância das cooperativas. "Atualmente administramos 2.400 cooperativas no Estado. Estamos dando uma atenção especial para aquelas do ramo Agropecuário no Rio de Janeiro. Portanto, a parceria com o Mapa é de extrema importância para contribuir e ajudar os nossos produtores de alimentos", disse Diaz.

Para Jorge Barros, a realização do encontro foi um orgulho muito grande, pois percebeu-se o reconhecimento da instituição pelo Mapa. "O cooperativismo tem um papel importante no desenvolvimento do país. No entanto, estamos atrás de países como os Estados Unidos no que tange ao engajamento de trabalhadores. Há um ano e cinco meses trabalhamos para empoderar no desenvolvimento das cooperativas do estado", afirmou Barros, acrescentando a parceria com a Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), através da Fazendinha, na Penha, visando fortalecer o ramo Agropecuário, com um local para atividades de capacitação dos associados em cooperativas.

Segurança alimentar e novas tecnologias
A preocupação com a produção de alimentos para os próximos anos e a importância das novas tecnologias para o setor também estiveram em pauta.  O diretor da SNA, Paulo Protásio, aproveitou a reunião para falar de sua preocupação com a segurança alimentar no Brasil. "Daqui há alguns anos, a alimentação ficará mais cara que a energia. Diversos países estão investindo em novas tecnologias, principalmente na área da pesca e da agropecuária. Devemos fazer o mesmo. Se nada for colocado em prática, a população passará por grandes dificuldades", afirmou.

Uma das saídas para este problema nos próximos anos é a biotecnologia. E um dos exemplos é o Programa Rio Genética, da Seapec. O coordenador técnico do programa, Luiz Altamiro Nogueira, falou que a iniciativa já está dando certo e afirmou que o país se tornou líder mundial na produção de embriões. "O programa começou em 2011 com apenas seis veterinários e hoje já estamos com 13 profissionais. E os resultados são excelentes", explicou Luiz Altamiro, acrescentando que a biotecnologia deve ser usada a favor da produção de alimentos.

Ao final do encontro, foi marcada nova reunião para o mês de fevereiro, onde serão discutidas a produção de um Termo de Cooperação Técnica entre o Sistema OCB/Sescoop-RJ e o Mapa e a criação de um grupo de trabalho com a presença de representantes de diversas entidades para explicar aos municípios a importância do ramo Agropecuário tem nas respectivas cidades.


Fonte: Richard Hollanda - Montenegro Comunicação - Assessoria Sistema OCB/Sescoop-RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário