sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

NOS TRILHOS DO ABANDONO

É muita cara de pau e falta de vergonha, chega a ser inacreditável aos olhos das pessoas, a postura e a arrogância do secretário de transportes do desgoverno Cabral. O Sr Julio Lopes é até gente boa, mas já deixou bem claro que não tem vocação para ser político, não gosta de gente, da gargalhadas da tragédia alheia, também não tem vocação para gerir a secretaria de transportes do Estado, uma vez que sua gestão é descompromissada e sem vínculos com os anseios e com as necessidades dos cidadãos do Rio de Janeiro. Aliás, se ele ainda está lá é porque o desgovernador Sérgio Cabral não está nem aí para a questão do transporte público e nem aí para a questão da mobilidade urbana.

 Entre 2012 e 2013 foram 156 descarrilamentos de trem e só foram aplicadas 14 multas à concessionária e ponto, mais nada aconteceu. Contudo, não podemos esquecer das chicotadas que o povo levou dos seguranças da Supervia para entrar nas composições, bem como do segurança que mordeu a orelha de um passageiro, do trem que circulava pelos trilhos sem maquinista, das várias vezes que os passageiros tiveram que caminhar pelos trilhos por causa das panes frequentes, das batidas dos trens em carros e ônibus nas passagens de nível por falta de sinalização, das várias vezes que os trens foram flagrados lotados e circulando com várias portas abertas, o que ensejou, inclusive, a queda de um passageiro, dos vagões que as vezes se soltam no meio do trajeto, dos frequentes curto-circuitos na rede de ramais da concessionária, entre outras situações que acompanhamos diariamente e que simplesmente ficam esquecidas e sem solução definitiva, enquanto o povo sofre. Todavia, o secretário de transportes, ao invés de fazer gestão para rever o contrato da concessionária e aplicar sanções severas, ou até mesmo propor a cassação da concessão pelos péssimos serviços prestados, pasmem, renovou a concessão por mais 25 anos. Não podemos esquecer, também, do bondinho de Santa Teresa, bairro bucólico e turístico da cidade do Rio de Janeiro, que tem como um de seus atrativos o próprio bondinho de passageiros, que é um charme e que sofreu um sério acidente que vitimou várias pessoas, inclusive levando a óbito o maquinista, que depois foi acusado pelo secretário de transportes, de forma covarde, de ter sido o causador da tragédia, sem ter tido um pingo de culpa sequer, pois o acidente ocorreu devido a falha mecânica por ausência de manutenção no bonde. Isso tudo sem falar no alto preço das tarifas que são pagas diariamente com o suor de cada cidadão.

 Bom, o fato é que o desgoverno Cabral está descendo ladeira abaixo e deixando claro que o ciclo de poder do PMDB no Rio de Janeiro está se encerrando da pior maneira possível. Não bastassem os desmandos e a falta de compromisso com a coletividade, percebemos nitidamente que há uma grande manobra para privilegiar os poderosos as custas do sacrifício da população, deixando o Estado nos trilhos do abandono. Nada funciona, a saúde é péssima, a educação terrível, as poucas obras são de faixada e de baixa qualidade, a segurança empurra os traficantes para a zona oeste e para o interior, não tem água e nem energia para o povão e as explicações são estapafúrdias, é o fim !!! Assim, lamentavelmente, mais uma vez fomos obrigados a ver o secretário de transportes, em meio a uma crise seríssima, dando gargalhadas ao lado do presidente da Supervia, enquanto 600 mil pessoas, diretamente, tiveram seu dia prejudicado pela falta de compromisso do poder dominante. O pior é que em breve esse cidadão vai sair do governo para tentar sua reeleição de deputado federal e o pré candidato do PMDB ao governo continua tentando subir nas pesquisas as custas de alguns eventos para inglês ver, ao invés de tentar ajudar a resolver os problemas. Acorda Rio de Janeiro !!!

Bernardo Ariston
Jornalista, Radialista e Bacharel em Direito

Nenhum comentário:

Postar um comentário